CUMPLICIDADES – Festival Internacional de Dança Contemporânea de Lisboa de 10 a 16 de Março

O CUMPLICIDADES é um festival dedicado à dança contemporânea centrado nos princípios da reinvenção e da diversidade. Com uma dupla de programadores diferente a cada edição, o festival destaca-se pelo facto de ver sempre renovada a sua linha programática e ainda por ser parceiro de espaços de acolhimento que vão desde salas de espectáculos tradicionais a espaços alternativos. Estas características trazem consigo a possibilidade de estender por todo o mapa lisboeta uma comunidade
constituída por um público novo, criado pelas intersecções dos diferentes públicos e
espaços.

O CUMPLICIDADES 2018 reúne duas propostas ousadas: a de Tânia Carvalho assenta na repetição, com 7 espectáculos em 7 dias consecutivos de apresentação; o desafio de Abraham Hurtado a um colectivo de artistas reunidos por convocatória aberta, atenta na variação, na diferença, com a reconfiguração de uma mesma proposta artística em 7 espaços, nos mesmos 7 dias. Interpelando o dado adquirido de práticas de programação de carreiras muito curtas para espectáculos de dança, o Festival proporciona a criadores de proveniência e de experiências diversificadas uma semana em palco. Agora, caberá aos públicos responderem a este repto, usufruindo de universos criativos e incursões estéticas estimulantes, reunidos por dois olhares atentos à actualidade da dança, sem descurar o que acontece nas suas margens.

Francisco Camacho

 

PROGRAMAÇÃO ARTÍSTICA – 10 a 16 de Março

PROGRAMAÇÃO 7x7x7:

7 espectáculos nacionais apresentados durante 7 dias consecutivos, em 7 espaços distintos (Rua das Gaivotas6, Teatro da Trindade, Negócio ZDB, Espaço Alkantara, Teatro Ibérico, CAL – Centro de Artes de Lisboa e Biblioteca de Marvilha); 7 variações performativas do projecto internacional; 7 artistas emergentes e consolidados, cujo denominador comum é a excelência do seu trabalho; Este peculiar formato de apresentação proposto pelos programadores convidados do Cumplicidades – Tânia Carvalho e Abraham Hurtado – apela a uma maior representatividade da dança nos palcos portugueses.

Na sequência do trajecto iniciado na edição passada, a dimensão internacional do CUMPLICIDADES continuará centrada nos países da região do Mediterrâneo. Abraham Hurtado, programador convidado do CUMPLICIDADES´18, decidiu lançar uma convocatória aberta para seleccionar cinco artistas do âmbito da dança, no seu mais amplo espectro, para desenvolver uma peça colectiva. À convocatória lançada responderam cerca de 300 artistas, sendo que os finalistas são provenientes de Espanha, Grécia, Turquia, Israel e Itália. O processo artístico terá lugar no Centro Negra, um espaço de criação artística em Blanca – Espanha a que se seguirá  a estreia absoluta em Lisboa. A peça será apresentada em sete espaços distintos, durante sete dias consecutivos, mantendo uma estrutura comum mas transformando-se sempre, propondo sete variações com resposta a cada um dos espaços.

PASSE 7x7x7:
Vamos dançar mais com o Passe 7x7x7. Uma opção cultural que dá acesso aos 7 espectáculos diários, nos 7 espaços de apresentação, durante os 7 dias do CUMPLICIDADES.

Bilhetes disponíveis em: https://festivalcumplicidades.bol.pt/
Passe Early Bird: 25,00€ (até 31 de Janeiro)
Após 31 de Janeiro: 30,00€

 

CALENDARIZAÇÃO ESPECTÁCULOS NACIONAIS:

AURORA PINHO
HETEROPTERA
NEGÓCIO ZDB – Nova criação | Estreia absoluta
10, 12, 13, 14, 15 e 16 Mar – 21h30
11 Mar > 19h00

VITALINA SOUSA
Delirium
Teatro da Trindade – Nova criação | Estreia absoluta
10, 12, 13, 14, 15 e 16 Mar – 19h30
11 Mar > 17:00

VASCO DIOGO
CERVICAL KID
Rua das Gaivotas6 – Nova criação | Estreia absoluta
10, 12, 13, 14, 15 e 16 Mar – 19h30
11 Mar – 17:00

BRUNO SENUNE
A Deriva dos Olhos
Biblioteca de Marvila – Estreia em Lisboa
10, 12, 13, 14, 15 e 16 Mar – 21h30
11 Mar – 19:00

INÊS CAMPOS
coexistimos
Espaço Alkantara – Nova criação | Estreia absoluta
10, 12, 13, 14, 15 e 16 Mar – 21h30
11 Mar – 19:00

FLORA DETRAZ
Tutuguri
CAL – Primeiros Sintomas – Estreia em Lisboa
10, 12, 13, 14, 15 e 16 Mar – 19h30
11 Mar – 17:00

BCN – Ballet Contemporâneo do Norte
Repertório para Cadeiras, Figurantes e Figurinos
Teatro Ibérico – Estreia em Lisboa
10, 12, 13, 14, 15 e 16 Mar – 21h30
11 Mar – 19:00

 

PROJECTO INTERNACIONAL:

ABRAHAM HURTADO
Nova criação | Estreia absoluta
Com Gizem Aksu (Turkey), Myrto Charalampous (Greece), Shira Eviatar (Israel), Matías
Daporta (Spain) e Oriana Haddad (Egypt/ Italy).

Espaço Alkantara – 10 Mar

Biblioteca de Marvila – 11 Mar
CAL – Primeiros Sintomas – 12 Mar
Teatro da Trindade, Sala Estúdio – 13 Mar
Rua das Gaivotas6 – 14 Mar
Teatro Ibérico – 15 Mar
NEGÓCIO ZDB – 16 Mar

 

PROGRAMADORES CONVIDADOS edição 2018:

Tânia Carvalho nasceu em Viana do Castelo, Portugal. Começou aos cinco anos de idade as aulas de técnica de dança clássica e aos 14 anos técnica de dança contemporânea. Entre 1994 e 1999 passa por três cursos diferentes sendo estes: o curso de artes plásticas da ESTGAD, Caldas da Rainha, o curso da Escola Superior de Dança de Lisboa e o Curso de Intérpretes de Dança Contemporânea do Fórum Dança,
concluindo apenas o último. Em 1997 funda a bomba suicida-associação de promoção cultural com colegas e amigos onde permanece até ao fim de 2014. Nesta época frequenta o curso nocturno de joalharia da ARCO, Lisboa (1o Ano) e começa a trabalhar regularmente como coreógrafa e intérprete de dança e teatro. Com o decorrer do tempo reduz o trabalho enquanto intérprete e passa a dedicar-se quase exclusivamente ao seu próprio trabalho autoral, algo que lhe desperta mais interesse. Em 2005 e já activa enquanto coreógrafa fez o curso de coreografia integrado no Programa de Criatividade Artística organizado pela Fundação Calouste Gulbenkian em Lisboa. No seu trabalho enquanto coreógrafa, destacam-se as peças ‘Tecedura do Caos’ e ‘Xilografia’. Tânia Carvalho desenvolve também trabalhos
musicais. Teve aulas privadas de Piano e formação musical com os professores João Aleixo, Diogo Alvim e Youri Popov. Mantém activo o seu interesse pelas artes plástica através do desenho. Em trabalho contínuo desde 1997 apresenta regularmente as suas distintas criações em teatros, festivais, eventos e espaços diversos em várias partes do mundo.

Abraham Hurtado (Murcia, Espanha), É performer e artista plástico, tendo colaborado com inúmeros artistas visuais da dança e do teatro em Espanha e internacionalmente. Com outros artistas residentes em Berlim, gere a plataforma artística AADK, com cujos artistas membros apresentou trabalhos em mais de vinte e cinco países na Europa, no México, nos EUA, na Turquia entre outros. A arte que produzem é particular a cada membro adoptando porém configurações e estratégias comuns nas suas apresentações. Desde 2012 que Abraham Hurtado dirige o Centro Negra, um espaço para a investigação e criação contemporâneas em Blanca, Murcia (Espanha). O seu trabalho foi apresentado em diversas galerias na Europa, América do Sul e em Centros de Arte Contemporânea tais como La Conservera (Murcia), Moderna Museet (Estocolmo) e o CCCB (Barcelona).

Sobre a EIRA Desde a sua fundação (1993), a EIRA tem vindo a produzir e promover, nacional e internacionalmente, os espectáculos do coreógrafo português Francisco Camacho. A partir de 1996, a estrutura alargou a sua actividade à produção e promoção de um núcleo de artistas associados à estrutura, pelo qual passaram até hoje, diversos nomes e gerações de coreógrafos e outros artistas portugueses. Actualmente o núcleo de artistas associados à EIRA é constituído por Francisco Camacho, Rafael Alvarez, Mariana Tengner Barros e Tiago Cadete.