Estúdios abertos

Ana Renata Polónia

[Portugal]

KAMA

© Ana Renata Polónia

“Tudo no mundo é sobre o sexo, exceto o sexo. Sexo é sobre poder.” Oscar Wilde
KAMA representa o espaço sobre o qual se propõe explorar o relacionamento entre diferentes géneros. Esta pesquisa coreográfica pretende cruzar técnicas de contacto-improvisação com as ilustrações do antigo texto indiano, Kama Sutra de Vātsyāyana, explorando a possível soberania individual que ocorre nestes encontros. Dois corpos que constroem uma narrativa sobre a história dos géneros e os seus eternos conflitos.

Nota: Bilhete único para os três estúdios - 5 €
Bilhetes disponíveis na bilheteira do CAL- Primeiros Sintomas - Aceita apenas dinheiro.
Pode comprar o seu bilhete a partir de 1h antes do espetáculo.

Ana Renata Polónia

Ana Renata Polónia é natural de Ovar mas vive e trabalha no Porto. Na sua formação, procurou estudar possíveis relações entre diversas áreas artísticas. Concluiu o Mestrado na Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto explorando a relação entre dança e espaço, através da análise vídeos de dança nos anos 90. Em 2012 inicia-se na área do vídeo com A Dimensão Oculta de Renata Polónia focando o movimento como forma de exploração espacial (prémio Melhor Filme Português - InShadow’12). Realizou ainda as curtas-metragens ÊXODO (2013) e MESA (2013) com Teresa Santos e Dídac Gilabert, tendo a última evoluído como pesquisa performativa. Em 2013 inicia a sua colaboração com uma plataforma de partilha coreográfica entre artistas do Porto, participando ativamente nas Mostras desNORTE, um evento anual auto-organizado com o apoio do Teatro Nacional São João. Em 2015 ingressa a Formação Avançada em Criação e Interpretação Coreográfica (FAICC) da Companhia Instável, onde inicia uma nova pesquisa coreográfica, de título Yeborath, com Joana Lopes. Colabora ainda com Nuno Pimenta, com quem cria o projeto ONE by 1 (2015-2019), uma pesquisa performativa sobre as dimensões humanas inseridas no espaço público, seleccionada para integrar a Quadrienal de Praga em 2019. Em 2017 frequenta o Curso de Formação Especializada em Cenografia, na Escola de Arquitetura da Universidade do Minho e inicia a criação CARROSSEL, que estreou em 2018 tendo apresentações já em 2019.
As suas criações têm sido apresentadas em diferentes contextos de programação, nomeadamente: Festival MAP/P 2014 (Mosteiro de São Bento da Vitória, TNSJ, Porto), Serralves em Festa 2015 (Museu de Arte Contemporânea de Serralves, Porto), Palcos Instáveis 2015 / 2018 (Teatro Municipal do Porto – Campo Alegre), Happy Together 2015 (Mala Voadora, Porto), Festival IMAGINARIUS 2016 (Santa Maria da Feira), Noite Branca 2016 (Braga), Festival MITO 2016 (Associação Sol’Alma, Ovar), Festival Dias da Dança 2017 (Teatro Municipal do Porto – Campo Alegre), Festival Temps d’Images Lisboa 2018, Prague Quadrennial of Performance, Design and Space 2019 (Praga, República Checa).
Colabora ainda como intérprete com Alice Joana Gonçalves em Apocalipse (2012), Willi Dorner em Bodies in Urban Spaces (2013), Vera Mota em Several (2013), Catarina Miranda e Jonathan Uliel Saldanha em DOBRALÍNGUA (2013), SANCTA VISCERA TUA (2014), REIPOSTO REIMORTO (2014-2015), NEXØ (2015) e ECO DA VÍSCERA (2015-2017), Cristina Planas Leitão e Jasmina Krizaj em THE VERY DELICIOUS PIECE XL (2016), Luísa Saraiva e Alejandro Russo em T R I O (2016-2017)

14 Mar 20:00

CAL - Primeiros Sintomas

Criação, Espaço Cénico e Interpretação Ana Renata Polónia
Apoio à Criação e Interpretação Henrique Furtado Vieira
Espaço Sonoro Jorge Queijo
Apoio à Dramaturgia Cristina Planas Leitão
Ilustração Marta Ramos
Desenho de Luz/ Apoio Técnico Pedro Vieira de Carvalho
Apoio à Residência Festival Cumplicidades 2020, Teatro Municipal do Porto – Campo Alegre, Companhia Instável, Circolando – Cooperativa Cultural CRL

M/18 | 30 minutos